segunda-feira, 15 de março de 2010

Um texto, dois blogs, mil palavras, uma amizade

  O tédio tomava conta da tarde. A brisa soprava, mas não o bastante para refrescar. Não chovia, mas o sol não estava visivel. Não era manhã nem noite, era um final de tarde, como tantos outros. Os problemas do dia-a-dia, os problemas mais complicados, todos me assombrando. A procura de um refugio, de algo diferente, revirei meu quarto. Achei algo que eu procurava mesmo sem saber, e o usei para abrir um outro universo.
   Logo não estava mais no meu quarto, estava num lugar diferente, uma cidade diferente, um local onde eu já estive antes, mas ainda não conhecia por completo.
Observei o movimento nas ruas, acompanhava cada detalhe do que via. As cores eram mais vivas, os aromas eram outros.
   De repente, algo me chama a atenção. Algum movimento ali no canto. Vejo que é um casal, dois amantes proibidos, uma oportunidade rara para se encontrarem. Um beijo a tanto esperado, assim como os outros unico e inesquecivel. Um beijo rápido, um beijo interrompido. Passos no asfalto, uma rápida despedida, lábios que outra vez se encontraram. Mais passos, alguns se afastando, outros se aproximando. Alguem que não estava ali. O encontro interrompido.
  Logo me vi acompanhando a saga daqueles dois amantes. Acompanhava seus temores, seus amores, acompanhava seus dramas. Sentia a chuva que caia sobre seus rostos enquanto se separavam, sentia o aroma de lugares diferentes. Estava onde eles estavam, mesmo que estivessem separados. Me via envolvido na trama, mas mesmo assim aquilo não se dobraria a minha vontade. Vejo os dramas desse novo universo. Acompanho situações que me fazem rir, que me fazem chorar, mesmo que as vezes as lágrimas não sejam visiveis. Vou me envolvendo mais e mais, a procura do densenrolar das coisas nesse novo mundo.
  Um mundo que não é o meu, mais no qual eu entrei. Pessoas que conheci, pessoas de quem gosto, pessoas que não quero nem ver. Uma trama com a qual me envolvi, sem poder interferir. Fico no meio desse universo novo, observando tudo o que acontece.
  Então ouço um barulho, minha atenção sai daquele imenso universo que cabia em minhas mãos. Uma porta é aberta e minha irmã entra no quarto, me pedindo qualquer coisa.
  Me levanto e deixo o livro na mesa de cabeçeira, aguardando a próxima vez em que o abrirei para entrar em seu universo, mesmo que por pouco tempo. Aguardo para fugir de casa novamente, sem precisar sair da minha cama.

Texto feito em homenagem ao blog Fugindo de Casa da minha amiga Aline.
Minha onee-chan forever, a Bee que todos amam. Feliz aniversário Ayumi, e continue com o blog para lembrar que, sempre que quisermos, podemos fugir de casa, mesmo que só por um momento, sem dar nem um passo.

Um comentário:

Aline J. Romy disse...

AMEI Kenta *-* OBG pela homenagem :D Atorei de verdade :3
Beijão ;**